Wiki Ace Combat

Assim como a Acepedia internacional está na wiki.gg, nós também estamos lá. Acesse a nossa Acepédia brasileira de lá pelo link: https://acecombat.wiki.gg/pt-br

E agora temos um canal no Rumble e no Youtube Acesse: Rumble: https://rumble.com/user/AcepediaBR Youtube: https://www.youtube.com/@AcepediaBrasil

LEIA MAIS

Wiki Ace Combat
Advertisement
Wiki Ace Combat


Yuktobania, (em ing: Union of Yuktobanian Republics), ou a União das Repúblicas da Yuktobânia, é uma superpotência internacional e a maior nação do Continente de Verusa, abrangendo a maior parte do norte do continente. Compartilha fronteiras terrestres com Kaluga, Verusa e vários outros países, e é separada de Emméria e Estovákia pelo Mar de Fuscum. Sua capital, Cinigrad, está localizada nas terras altas do norte do país.

A Yuktobania é uma nação altamente desenvolvida que possui uma grande população, economia industrializada e uma força militar bem equipada. O país também é conhecido por seus muitos avanços em tecnologia aeroespacial, engenharia submersível e armamento de mísseis balísticos.

A Yuktobania serviu como o país antagonista inicial em Ace Combat 5: The Unsung War antes dos Grey Men assumirem esse papel.[1]

História[]

História antiga[]

Há pouca informação disponível sobre o início da história e da fundação da Yuktobânia. As primeiras cartas de navegação não demarcam a capital da Yuktobania, Cinigrad, o que pode indicar que a união não foi formalmente estabelecida até algum momento nos séculos 19 ou 20.

Era Moderna (1970–)[]

Em 1970, a Yuktobânia estabeleceu relações com a Estovákia, tornando-se um dos seus principais fornecedores de armas ao lado de Belka. A Estovákia acabou se tornando muito dependente dessas importações de armas, fazendo com que o desenvolvimento de armas domésticas ficasse estagnado.

Guerra Fria (1980-1995)[]

Ao longo de meados do século 20, a Yuktobânia floresceu e começou a expandir sua influência política em todo o mundo. No entanto, as tensões com a Federação de Osea - superpotência rival da Yuktobânia através do Oceano Ceres - resultaram em uma prolongada Guerra Fria entre as duas nações. A possibilidade de uma guerra nuclear desenfreada levou a Yuktobânia a uma corrida armamentista contínua com a Osea. Durante a década de 1980, a capacidade militar da Yuktobânia obteve vários avanços na tecnologia de mísseis balísticos de longo alcance. Quando o governo Oseano anunciou a criação de sistemas de armas atmosféricas para interceptar essas ogivas, a Yuktobânia começou a explorar novas plataformas de lançamento para seu arsenal nuclear. Em setembro de 1991, o primeiro-ministro em exercício, Samanov, revelou publicamente o porta-aviões submersível da classe Scinfaxi, o que por sua vez obrigou a Osea a iniciar o desenvolvimento da espaçonave manobrável Arkbird.

Guerra Belka (1995)[]

Artigo Principal: Guerra Belka

No final de março de 1995, Belka declarou guerra aos países vizinhos e invadiu o nordeste de Osea. Por razões que permanecem desconhecidas, Yuktobania juntou-se à coalizão militar dos Oseanos e apoiou sua luta contra os Belkans. Ao longo da guerra, esquadrões de caças Yuktobanianos serviram ao lado de pilotos Oseanos e mercenários contra a poderosa Força Aérea Belka. A Yuktobânia também é conhecida por ter fornecido recursos de coleta de inteligência para os Aliados, e até mesmo despachado vários de seus oficiais de reconhecimento para servir no Leste. No rescaldo da guerra, vários pilotos Yuktobanianos desertaram para a organização extremista militante conhecida como "Um Mundo Sem Fronteiras".

A Era de paz (1996-2010)[]

"O mundo estava mais uma vez em paz. E, graças a eles, parecia que duraria para sempre."

Albert Genette

Em 1996, a Yuktobânia assinou um acordo bilateral com a Osea que encerrou oficialmente a Guerra Fria. Após o pacto de paz, a Yuktobânia e a Osea começaram a concentrar dinheiro e recursos em projetos colaborativos, como o projeto Arkbird reformulado.

Em 21 de abril de 1996, o líder de Yuktobânia e o presidente de Sotoa realizaram uma reunião simbólica.

Em 2000, o primeiro-ministro Seryozha Viktrovich Nikanor implementou a "Glasnost" como meio de promover a liberdade de informação e a reforma organizacional. A implementação da Glasnost ajudou os analistas militares a confirmar a existência de um navio sucessor dos submarinos da Classe Scinfaxi: Scinfaxi e Hrimfaxi.

Colaboração com a Osea

Declaração do Arkbird cúpula

Cúpula da [[Declaração do Arkbird]]

Em 2008, os embaixadores Yuktobânios participaram da Cúpula do G7, que foi realizada a bordo do Arkbird; a reunião resultou em uma série de iniciativas históricas de desarmamento, como o Tratado de Redução de Armas Estratégicas e o Tratado de Proibição Completa de Testes Nucleares.

Cientistas e especialistas da Agência Espacial Nacional da Yuktobânia e do Osean Aerospace Bureau colaboraram mais tarde para abordar os fragmentos do Ulisses que ainda permaneciam em órbita; e então foi finalmente decidido que o Arkbird seria empregado para eliminar os detritos. O Arkbird finalmente limpou a maioria dos destroços de Ulysses, permitindo que a Yuktobânia, junto com Osea, liderasse a criação de uma estação espacial internacional nos anos 2000. Como o primeiro passo para perceber isso, as duas superpotências construíram o Basset Space Center.

A Guerra do Círculo do Pacífico (2010)[]

Batalhas de abertura[]

Esquadrão Wardog contra a Yuktobania

O [[Esquadrão Wardog]] é redirecionado para interceptar aeronaves não identificadas durante um exercício de treinamento.

O então Esquadrão Wardog é redirecionado para interceptar aeronaves não identificadas durante um exercício de treinamento.

Em 2010, sob a influência dos Homens Cinzentos (Grey Men), um golpe colocou o controle do governo da Yuktobânia nas mãos dos militares. A partir do final de setembro, aeronaves Yuktobânios seriam enviadas para as proximidades da Base Aérea de Sand Island, realizando incursões no espaço aéreo Oseano.

Em 27 de setembro, a Yuktobânia declarou formalmente guerra à Osea, desencadeando a Guerra do Círculo do Pacífico. Simultaneamente, as forças Yuktobanianos lançaram ataques surpresas na 3ª Frota Naval Oseano estacionada em St. Hewlett, onde infligiram danos substanciais às instalações portuárias, mas não conseguiram afundar o OFS Kestrel.

Escalada das Tensões

Em 30 de setembro, enquanto os três porta-aviões da Força de Defesa Marítima Oseana, Kestrel, Buzzard e Vulture transitavam pelo Estreito de Eaglin, o submarino da Yuktobânia, Scinfaxi, emboscou e afundou o segundo e o terceiro porta-aviões usando mísseis de explosão. Em resposta, Osea começou a adaptar a espaçonave Arkbird com armamento a laser capaz de combater o Scinfaxi. Em 3 de outubro, os tanques do ExércitoYuktobaniano foram lançados no Centro Espacial Basset com o objetivo de evitar que um SSTO entregasse o armamento a laser ao Arkbird, mas falharam devido aos esforços do Esquadrão Wardog e outras forças Oseanas.

O Arkbird sendo equipado com armamento

Arkbird sendo equipado

O Arkbird sendo reequipado com munição.

Em 4 de outubro, a Yuktobânia realizou uma ofensiva em larga escala com o objetivo de capturar Sand Island, mobilizando uma grande força além do Scinfaxi. Em última análise, as forças combinadas da Força de Defesa Aérea de Osea e Arkbird adaptados conseguiram impedir o pouso e afundar o submarino.

Em 1º de novembro, os militares da Osea conduziram uma operação de desembarque de retaliação no continente Yuktobaniano, na ponta da Península de Bastok, protegendo com sucesso o litoral. Após o sucesso da operação, as forças Oseanas começaram a avançar em direção à capital yuktobaniana de Cinigrad. No dia seguinte, ocorreu uma escaramuça acima de Dresdene, durante a qual um esquadrão agressor oseano disparou contra uma faculdade de engenharia. Em resposta aos ataques em Dresdene, as Forças Especiais Yuktobanianos usaram gás nervoso na cidade de Bana enquanto outra célula das forças Yuktobanianas lançou um ataque no Aeroporto Internacional de Apito.

Lançamento Subaquático do Hrimfaxi

Do Estreito de Razgriz, o Hrimfaxi dispara contra as forças oseanas.

Para combater o Exército Oseano, que ainda estava avançando em direção a Cinigrad, a Yuktobânia despachou seu segundo submarino da classe Scinfaxi, o Hrimfaxi, para a porção do Estreito de Razgriz dentro das fronteiras marítimas de Emméria, provavelmente sem o conhecimento das nações Aneas. Em resposta, a Força Aérea de Osea enviou o Esquadrão Wardog para o estreito em 14 de novembro, onde emboscou e afundou o Hrimfaxi enquanto reabastecia. A Yuktobânia mais tarde atacou uma cerimônia de paz na cidade de novembro em 29 de novembro.

Impasse

Em 6 de dezembro, os militares de Osean capturaram a Fortaleza Cruik da Yuktobânia. No entanto, após o desaparecimento do Esquadrão Wardog, a guerra entrou em um impasse. Quase duas semanas depois, o Arkbird, que agora era comandado por nacionalistas Belkas, tentou atacar a cidade yuktobaniana de Okchabursk. No entanto, isso foi impedido pelo Esquadrão Razgriz.

Uma batalha de três vias ocorre no Oceano Ceres

Uma batalha de 3 vias sobre Ceres

Uma batalha de 3 vias sobre o Oceano Ceres

Em 23 de dezembro, o Primeiro Ministro Yuktobaniano Seryozha Viktrovich Nikanor foi resgatado pelo Capitão Jack Bartlett e pela resistência Yuktobaniana antes de ser transportado para o Kestrel. Seis dias depois, o Kestrel foi interceptado por navios da Marinha da Yuktobânia no Oceano Ceres. O primeiro-ministro Nikanor tentou convencer seus compatriotas a uma resolução pacífica com Osea, fazendo com que vários navios Yuktobanianos desertassem, enquanto outros permaneceram na oposição. Enquanto isso, outra frota Oseana entrou na área e uma batalha de três vias se seguiu, durante a qual Razgriz e a coalizão Kestrel Fleet conseguiram sair vitoriosos.

O Fim da Guerra

Em 30 de dezembro, foi descoberto que os Homens Cinzentos Belkas tinham acesso a armas de destruição em massa V2 e à Arma Linear Orbital Estratégica. No mesmo dia, o presidente da Osea, Vincent Harling, realizou uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro de Yuktobânia, Nikanor, em Bright Hill. Durante o qual, eles anunciaram o fim do conflito e instaram suas respectivas forças armadas a cessar as hostilidades entre si e, em vez disso, se unirem para impedir a ameaça dos Homens Cinzentos.

O anúncio fez com que um número de unidades Oseanas e Yuktobanianas se aliassem e realizassem um ataque conjunto na sede da North Osea Gründer Industries em Sudentor, enquanto as forças mais duras Oseanas e Yuktobanianas continuaram a se envolver. No dia seguinte, o Esquadrão Razgriz destruiu o SOLG, marcando o fim definitivo do conflito.

Pós-guerra (2010–)[]

Harling com Nikanor

O presidente Vincent Harling e o primeiro-ministro Nikanor fazem uma declaração conjunta na Bright Hill

Após o fim da Guerra Círculo do Pacífico, agora também conhecida como Conflito Belka, os militares da Yuktobania e da Osea foram enfraquecidos, fazendo com que Free Erusea começasse a planejar um ressurgimento. Além disso, Osea conseguiu superar a Yuktobania em influência até certo ponto, tornando-se o líder da ordem internacional. Em 2011, o primeiro-ministro Nikanor foi reconduzido como primeiro-ministro da União das Repúblicas da Yuktobania.

Em abril de 2011, o primeiro-ministro Nikanor e o presidente da Oseano, Harling, assinaram o 3º Tratado de Redução de Armas Estratégicas. Sob os termos do START-3, ambas as nações disporiam de uma série de armas nucleares e estratégicas, que incluíam o submarino avançado Alicorn, da Yuktobania. Sem saber como descartar o submarino, a subsidiária GR Trading, com sede em Usea, se ofereceu para comprar o navio como sucata e apelou ao governo central de usea para obter permissão para fazê-lo. Em setembro, a Yuktobania, Osea e Usea Central chegaram ao consenso de que as nações e corporações de Usea teriam permissão para receber embarcações militares descartadas.

Reporatagem sobre o Alicorn ser rebocado para Erusea

GAZE relatando a compra do Alicorn pelo Reino da Erusea

A General Resource Limited então comprou o Alicorn e o rebocou para Usea. Em vez de descartá-lo, no entanto, a General Resource o recondicionou. Em 20 de dezembro de 2012, depois que analistas especularam se Leasath, Estovakia ou Erusea adquiririam o submarino da GR Trading, GAZE informou que o Reino de Erusea finalmente comprou o submarino Yuktobanian.

Em 21 de abril de 2015, um dos satélites espiões de Yuktobania avistou o P-1112 Aigaion enquanto sobrevoava a Estovakia. O satélite continuou a rastrear o Aigaion por quatro dias antes de perdê-lo de vista enquanto voava na costa nordeste do país, perto das instalações de petróleo offshore da Estovakia. Durante a Guerra Emmeria-Estovakia, a Yuktobania revelou que seu satélite espião já havia avistado o Aigaion. FRONT LINE mais tarde notou o anúncio da Yuktobania ao discutir o potencial estratégico da frota aérea da Estovakia em uma publicação lançada em 26 de fevereiro de 2016.

Em junho de 2019, o primeiro-ministro de Yuktobania comentou sobre a Lighthouse War em andamento, afirmando que "Erusea tinha motivos para racionalizar a guerra". Em agosto, os militares eruseanos comissionaram formalmente o submarino Alicorn, construído em na yuktobania, em serviço ativo. Em 14 de setembro, as forças da Osea afundaram o Alicorn depois que seu capitão se rebelou e tentou disparar ogivas nucleares em Oured. Em dezembro, após o fim do conflito, a yuktobania forneceu ajuda humanitária aos refugiados que vivem na base do Elevador Espacial Internacional.

Em 30 de junho de 2020, a Yuktobania participou de uma cerimônia comemorativa do 25º aniversário do fim da Guerra Belka após ser convidada pelo governo oseano. Oficiais da Yuktobania compareceram ao Memorial Day e a Força Aérea Yuktobaniana enviou cinco Su-57s para serem exibidos na Base Aérea de Redmill ao lado das unidades aéreas de outras nações estrangeiras.

Geografia[]

A Yuktobania abrange a maior parte da massa terrestre do continente de verusa e é o maior país (em área) na Terra de Strangereal. A geografia e o clima da Yuktobania variam muito em seu vasto território. Florestas tropicais úmidas ficam ao longo das regiões equatorial e sul; estepes nevados e planaltos abrangem as latitudes do norte; e o vasto deserto de Jilachi cobre o coração geográfico da Yuktobania. Terreno acidentado e montanhoso pode ser encontrado em todo o país.

A Yuktobania é separada das nações aneanas pelo Mar Fuscum e tem costas ao longo de três outros grandes corpos de água - os oceanos Ceres, Pacífico e Eusiano. A Yuktobania compartilha fronteiras terrestres com Kaluga e Verusa ao sul; outras nações desconhecidas fazem fronteira com Yuktobania ao sul e sudoeste. Sua capital, Cinigrad, está localizada nas terras altas do norte do país.

Política[]

Governo[]

Como seu nome oficial indica, a União das Repúblicas da Yuktobania, é uma união política e econômica de repúblicas independentes; um desses estados membros é a República de Romny. O governo nacional é chefiado pelo Primeiro-Ministro, o que pode implicar a existência de algum órgão legislativo representativo. Não se sabe se o primeiro-ministro tem mandato limitado.

Militares[]

A Yuktobania apóia uma das maiores e mais bem equipadas forças militares do mundo, rivalizando apenas com as Forças de Defesa da Osea e os militares d. As emmerianos forças armadas do país são compostas pelo Exército Yuktobaniano, Marinha Yuktobaniana (que apóia uma divisão avançada de guerra submersível) e Força Aérea Yuktobaniana.

Galeria[]

Curiosidades[]

  • Yuktobania é considerada uma alegoria da antiga União Soviética (URSS):
  • O nome da nação (Soyuz Yuktobaniyskikh Respublik, Союз Юктобанийских Республик) e a estrutura política são semelhantes aos da URSS;
  • O povo de Yuktobania possui sobrenomes russos e fala com sotaque russo;
  • Locais yuktobanianos como Bastok e Pobeda ("Leste" e "Vitória", respectivamente) e designações militares como Oka Nieba ("Olho do Céu") derivam do russo e de outras línguas eslavas;
  • A insubordinação da fragata Yuktobanian Pitomnik é semelhante à rebelião do encouraçado russo Potemkin em 1905 e ao motim da fragata Storozhevoy liderado por seu comissário político Valery Sablin;
  • A unidade das Forças Especiais Varyag compartilha seu nome com vários navios de guerra navais russos; e
  • O veado que aparece na bandeira nacional da Yuktobania lembra os ornamentos do capô que outrora adornavam os automóveis GAZ-M-21 Volga da era soviética. O veado também está representado no brasão de Nizhny Novgorod, a cidade russa onde os carros da marca GAZ eram fabricados.
  • O veado também parece se assemelhar ao da bandeira de Magadan, uma cidade costeira no extremo leste da Rússia.
  • A Guerra Belka pode ser interpretada como uma alegoria da Segunda Guerra Mundial, na qual os americanos (Oseanos) e os soviéticos (Yuktobanianso) confrontam e derrotam os alemães (Belkas) juntos.
  • A cidade Yuktobaniana de Dresdene é provavelmente uma referência a Dresden, na Alemanha, que também sofreu baixas civis como resultado de bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial.

Referências[]

  1. Yuktobania, Acepedia. Acesso: <https://acecombat.fandom.com/wiki/Yuktobania> acesso 7 de março de 2023.
Advertisement